Ensino: o que é studygram e como aproveitar esta tendência

Happy asia girl host record podcast use microphone wear headphone with laptop interview guest conversation for content in her home studio at night. Sound equipment concept. Content creator concept.

Sempre passando por reformulações e lançando tendências, o Instagram tem uma nova hashtag em alta – desta vez, ligada à educação. Se você está por dentro da novidade, provavelmente já sabe que estamos falando da tag #studygram. Porém, tal qual em sala de aula, é importante nivelar o conhecimento da “turma” antes de entrar em detalhes, certo? Por isso, vamos começar definindo com clareza o que é studygram. Em seguida, mostraremos como os professores podem aproveitar essa tendência para expandir os horizontes do ensino.

Afinal, o que é studygram?

As redes sociais têm o potencial não só de entreter quem as utiliza, mas também de informar. Portanto, enquanto surgem cada vez mais iniciativas com o objetivo de divertir, outras têm o claro propósito de educar. Aliás, foi assim que nasceu o studygram – um conjunto de perfis e hashtags voltados a inspirar e auxiliar nos estudos. Da mesma forma, começaram a emergir influenciadores específicos desse nicho – os chamados studygrammers. Em geral, eles são estudantes dispostos a compartilhar técnicas de estudo e conteúdo com o qual têm facilidade.

Entretanto, saber como tirar proveito dessa tendência é tão ou mais importante quanto simplesmente entender o que é studygram. Inclusive, é muito salutar que educadores também se tornem influenciadores digitais. Afinal, isso facilita a tarefa de engajar e motivar os alunos que utilizam o Instagram para aprender. Aliás, diferentemente de outros usuários da plataforma, os educadores não precisam construir reputação do zero. Isso porque, com o combo especialização + experiência acadêmica, a autoridade para abordar o conteúdo é indiscutível. Dessa forma, sua entrega como studygrammer vai bem além da inspiração, oferecendo mais profundidade e efetividade.

Educadores no ambiente digital

Na posição de studygrammers, professores podem criar perfis que ofereçam pequenas “aulas de reforço” na sua respectiva disciplina, por exemplo. Entretanto, sempre tratando de recortes específicos que possam ser incluídos em vídeos, posts e imagens. Além disso, é crucial saber utilizar a linguagem das redes, aproveitando por vezes memes e outros recursos virais da internet. Outro formato de sucesso são as transmissões ao vivo (lives) – que podem até ter dia e horário fixos.

Ainda assim, podem e devem ser mantidas as formas de ensino típicas da sala de aula. Afinal, as contribuições da tecnologia não podem ser deixadas de lado, mas uma prática não necessariamente anula a outra. Ao contrário, o ideal é que ambas atuem em conjunto.

Além disso, a presença dos professores num ambiente que frequentemente dissemina fake news é importante para validar informações. Através da sua participação nas redes, é possível legitimar e tirar dúvidas acerca dos assuntos estudantis. Ou seja: esclarecer de forma academicamente apropriada – e não baseada em teorias ou opiniões pessoais. Aliás, já existem até cursos para capacitar os professores sobre como implementar a alfabetização midiática em sala de aula. Buscando não deixar os estudantes tão vulneráveis à corrente propagação de notícias contendo informações incorretas.

Agora que você sabe o que é o studygram, que tal apostar na tendência, juntando-se a essa comunidade digital? Com a sua participação nesse meio, os alunos terão um influenciador que fará a diferença na sua trajetória de estudo! Além disso, a construção de audiência online aumenta a visibilidade do próprio educador e da escola onde atua.

 

Foto: iStock/Tirachard

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Veja também: