Empresas brasileiras lideram inovação na América Latina

inovacao

Num mercado global, a inovação é um vetor crucial para a competitividade. Afinal, à medida que a tecnologia avança, modifica-se também a maneira como as pessoas trabalham, consomem e interagem. Assim, progressivamente, os consumidores buscam experiências de compra mais rápidas, integradas e convenientes, além de novas formas de efetuar pagamentos. Neste contexto, o Brasil foi recentemente destacado como o mercado líder em inovação na América Latina. O título veio especialmente em função do uso de tecnologias como machine learning, inteligência artificial, big data e biometria. As informações são do estudo The State of Innovation in Latin America, publicado pelo Centro de Inovação da Visa.

Partindo da perspectiva de pagamentos e serviços financeiros, a pesquisa avaliou o nível de inovação de 85 companhias. E, diferente do que se poderia intuir, as mais inovadoras não são, necessariamente, aquelas que já nasceram no ambiente digital. Entre os destaques figuram instituições financeiras, varejistas e players de “novos ecossistemas” dos principais mercados da América Latina. São eles: Argentina, Brasil, México, Chile, Colômbia e Peru.

Apesar de não ter divulgado quais são elas, o estudo listou as 20 organizações mais inovadoras da região. Deste total, oito empresas são do Brasil, cinco do México, quatro da Colômbia, duas da Argentina e uma do Chile. Conforme a pesquisa, o Peru é o país em que o processo ainda ocorre de forma mais inicial. Lá, a fase atual é a da disseminação de aplicativos mobile e adoção de meios digitais de pagamento.

Como investir em inovação

Para medir o grau de inovação das empresas, o estudo considerou quatro pilares. Foram eles: apoio interno à inovação, habilidade de executar, uso de novas tecnologias e capacidade de escalar as soluções. Dessa forma, também foi possível chegar a várias e importantes características comuns entre as organizações mais inovadoras da América Latina.

Em sua grande maioria, as companhias possuem uma equipe, um departamento ou um centro totalmente dedicado à inovação. Além disso, mantém espaços abertos em seus escritórios para promover a colaboração entre os diferentes departamentos. A inovação externa também é incorporada com uma média de 140 APIs e parcerias com 15 startups por ano. Elas conseguem, ainda, escalar suas soluções internacionalmente, levando-as para mais de cinco mercados.

Outra caraterística em comum é desenvolver soluções em menos de cinco meses e produzir uma média de 57 provas de conceito em três anos. Além disso, usam tecnologias líderes de indústria, como inteligência artificial (IA) e machine learning. Por fim, a experiência do usuário também é destacada pela pesquisa como um aspecto fundamental. Assim, a Visa cita empresas como Banco Itaú, Bancolombia, MercadoPago, Rappi e Easy Taxi, que colocam o consumidor no centro do modelo de negócios.

 

Foto: iStock/Peshkova

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Veja também: