Apple: a melhor solução para pequenas e médias empresas

apple-para-pequenas-e-medias-empresas

Segurança, estabilidade, compatibilidade, facilidade de uso. Por inúmeras razões, os produtos Apple têm sido adotados em escala cada vez maior por organizações de todos os tamanhos. Afinal, a oferta nativa de aplicativos robustos elimina gastos consideráveis com licenciamento.

Além disso, muitas ferramentas complementares podem ser baixadas de forma gratuita pela App Store. Ou seja: usando Apple, pequenas e médias empresas passam a contar com recursos compatíveis aos das grandes corporações. Porém, tão ou mais importante do que a produtividade é a segurança dos dados de sua empresa. Por isso, o grande salto evolutivo acontece quando a organização migra integralmente para o ecossistema Apple.

Mesmo que o investimento inicial pareça mais alto, a longo prazo é possível valer-se da economia proporcionada pelo custo-benefício. Afinal, a plataforma Apple efetivamente reduz o Custo Total de Propriedade (o famoso TCO, na sigla em inglês). Para tanto, basta comparar alguns custos diretos e indiretos relacionados ao parque de dispositivos da empresa. Como, por exemplo, despesas com manutenção de hardware, licenciamento de software e tempo fora de operação.

Este último, geralmente registrado em sistemas Windows e Android por conta de falhas de segurança. Mas pior do que períodos de inatividade são possíveis danos à reputação da companhia em situações de vazamento de dados. Assim, os custos de uma escolha ruim não impactam apenas o orçamento, mas os negócios como um todo.

 

Segurança Apple

No universo Apple, toda a proteção dos sistemas vem embarcada na forma de recursos nativos. Assim, tudo é minuciosamente projetado para trabalhar de maneira integrada, evitando brechas que poderiam comprometer a segurança. Afinal, a concepção das plataformas macOS e iOS, com total sinergia entre hardware, software e serviços, é incomparável. Além disso, configuração, implantação e administração dos sistemas se tornam mais simples e rápidas.

Menos suscetível a vírus do que sistemas operacionais concorrentes, o macOS possui sofisticadas proteções embarcadas. Entre outras coisas, esses recursos de segurança digital nativos dos computadores Apple evitam que o sistema seja comprometido por malwares. Tecnologias como ASLR (Address Space Layout Randomization) e Proteção de Integridade do Sistema (SIP) trabalham juntas para reforçar a proteção.

Assim, elas mantêm altas as defesas em todos os níveis e impedem que eventuais malwares modifiquem arquivos importantes do sistema. Comparativamente, num ambiente Windows, semelhante proteção contra vírus e outras ameaças digitais acarretaria custos extras.

Ainda no aspecto preventivo, um dos destaques entre os muitos recursos de segurança e privacidade do Mac é o Gatekeeper. Isso porque seu objetivo é evitar os riscos do fator humano. Com ele, o time de TI consegue definir de onde os usuários podem baixar apps. Assim, pode-se bloquear downloads de fora da Mac App Store, por exemplo. E ainda verificar a assinatura digital dos softwares baixados, certificando-se de que sejam seguros para instalação.

Além disso, em conjunto com o XProtect, a ferramenta consegue bloquear rapidamente a propagação de eventuais aplicações suspeitas. Atualizado automaticamente, o recurso ajuda a bloquear softwares maliciosos e plug-ins desatualizados, que poderiam representar vulnerabilidades. Por sua vez, golpes baseados em engenharia social também são combatidos pelo ecossistema Apple a partir de sua tecnologia antiphishing.

 

Custo Total de Propriedade

Assim como o Mac, o iPhone é outra poderosa ferramenta que se aplica aos negócios. Afinal, o dispositivo agrega mobilidade e muita produtividade ao dia a dia da sua equipe. Fato é que, independentemente do dispositivo adotado, o investimento na plataforma Apple claramente se paga ao longo do tempo. Afinal, é evidente o diferencial da marca em termos de preservação de valor. O Mac, por exemplo, conserva valor de revenda superior ao de um PC de mesma idade.

Dessa forma, reduz os custos até mesmo na hora de atualizar o parque de máquinas. Além disso, simplifica muito o processo de colocar toda a estrutura em funcionamento. Afinal, entre suas grandes exclusividades está o Programa de Registro de Dispositivos (DEP, na sigla em inglês).

Com ele, é possível cadastrar o dispositivo MacOS ou iOS como propriedade da empresa desde o momento inicial da aquisição. Assim, sendo ligado pela primeira vez, ele acessará a database da Apple e se registrará como um ativo da companhia. A partir disso, um gerenciador pode ser utilizado para carregar aplicativos e configurações de maneira automatizada, poupando tempo e dinheiro.

Com a possibilidade singular de preparar os equipamentos remotamente, a equipe de TI pode se dedicar a outras tarefas, gerando ainda mais valor para a empresa. Além disso, os dispositivos Apple apresentam reduzido consumo de energia, ampliando o valor e as práticas sustentáveis de sua organização. Tudo porque o iPad Pro de 11 polegadas é 69% mais eficiente do que a exigência da Energy Star.

O MacBook Air com tela Retina consome três vezes menos energia em repouso do que a primeira geração. E um design inovador da fonte de energia faz com que o iMac Pro consuma 40% menos eletricidade em repouso ou desligado. Multiplique essa economia por todos os aparelhos do seu parque Apple para ter uma ideia da diferença que isso faz…

Por todas essas razões, o ecossistema Apple é hoje a melhor opção para pequenas e médias empresas. Com a plataforma da gigante de Cupertino, startups e pequenos negócios ganham escala e competitividade. Afinal de contas, passam a dispor dos melhores recursos de segurança e ferramentas de produtividade – tudo isso economizando dinheiro. Conheça. Compare. Escolha a solução ideal. E conte com a iPlace Corporativo para fazer sua empresa crescer.

Foto: iStock/fizkes

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

Veja também: